POLÍCIA CIVIL CONCLUI INVESTIGAÇÃO DE HOMICÍDIO OCORRIDO NO PRESÍDIO MASCULINO DE LAGES E INDICIA 11 DETENTOS POR CRIMES DE HOMICÍDIO, FRAUDE PROCESSUAL E FALSO TESTEMUNHO

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal – DIC Lages, concluiu, nesta segunda-feira (27), inquérito policial que investigou a morte de Fábio Júlio Santos de Oliveira em 02 de janeiro no presídio masculino de Lages/SC.
A vítima estava presa com outros 12 detentos e, na manhã do dia 02 de janeiro, foi encontrada morta, enforcada na janela da cela.
As Polícias Civil e Científica foram acionadas e iniciaram os trabalhos periciais e de investigação. A cena do crime pretendia sugerir um suicídio, no entanto, os policiais notaram marcas no corpo da vítima que apontavam para um homicídio.
Foram realizadas diversas perícias na vítima, nos presos, no local do crime, nos objetos da cela e análises do material recolhido pelos policiais.
As investigações apontaram que a vítima foi morta por afogamento, após ser dominada, estrangulada e pendurada pelo pescoço na janela da cela, simulando um suicídio por enforcamento.
Descobriu-se, ainda, que o crime ocorreu após autorização da organização criminosa que domina o sistema penitenciário catarinense. A vítima teria praticado atos que não eram aceitos pela facção e demais detentos.
Os presos prestaram depoimento sendo que 7 deles foram indiciados pelos crimes de homicídio qualificado e fraude processual, outros 4, indiciados por falso testemunho.
Os autos foram encaminhados ao Poder Judiciário, onde o Ministério Público irá analisar o caso.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!