Juiz Alexandre Takaschima fala sobre políticas públicas para mulheres no sul de SC

O 1º Fórum Regional de Integração de Políticas para Mulheres, ocorrido nesta semana (6/7) em Criciúma, teve como palestrante o magistrado Alexandre Takaschima, da 2ª Vara Criminal da comarca de Lages. Aos representantes de entidades e profissionais envolvidos no atendimento de vítimas de violência doméstica em municípios da região Sul, o juiz falou sobre os caminhos possíveis para a efetivação das políticas públicas a mulheres e filhos.

A mobilização foi feita pelo Conselho Municipal de Direitos da Mulher (CMDM) de Criciúma, que estendeu o convite a outros 40 municípios vizinhos. “É muito importante que o Poder Judiciário tenha esse diálogo com os Conselhos Municipais de Direitos da Mulher, pois é fundamental o trabalho em rede entre sociedade civil e governamentais (Executivo, Legislativo e Judiciário), uma vez que o enfrentamento da violência doméstica e de gênero é complexo e demanda estudo, dados estatísticos, orçamento e políticas públicas”, analisou Takaschima.

Para o magistrado, o evento foi momento de visibilidade e importância para a violência doméstica. “Mulheres continuam sendo mortas pelo fato de serem do gênero feminino. Neste ano, entre janeiro e maio de 2022, foram 27 feminicídios em nosso Estado, segundo dados do Observatório da Violência contra a Mulher de Santa Catarina”, relatou.

No Sul, há um projeto voltado à criação de casa de apoio regional para acolhimento das mulheres que sofreram violência doméstica. “Considero um grande avanço, pois os pequenos municípios têm dificuldade orçamentária para manter esse programa de alta complexidade”, avaliou Takaschima.

Nesse movimento de atenção ao tema, o CMDM de Criciúma já organiza a segunda edição do fórum. Em setembro, o evento terá a participação da desembargadora Salete Sommariva, titular da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cevid). A magistrada acompanhou os trabalhos no teatro Elias Angeloni. Além da palestra, houve apresentações artísticas, exposições de entidades voltadas ao atendimento de mulheres e declamação da poesia “Ninguém mata por amor”, pela poetisa Edenice Fraga.

Taina Borges – NCI/TJSC – Serra e Meio-Oeste
Foto: Ana De Mattia/Prefeitura de Criciúma

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!