Lages é referência em projetos sociais e chama atenção de município rio-grandense

Técnicas da Secretaria Municipal de Assistência Social de Charqueadas (RS) estiveram em Lages conhecendo o trabalho desenvolvido aqui. Alguns dos projetos lageanos serviram de inspiração e serão implantados no município visitante

Os programas, ações e projetos desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Lages vêm chamando a atenção de outros municípios e até de outros Estados. Nesta terça-feira (3 de agosto), o prefeito Antonio Ceron e o secretário Jean Pierre receberam a assistente social Caren Roberta Chaves e a coordenadora do Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (Saica), Claudia Raquel Costa, ambas de Charqueadas (RS).

As profissionais estão pela primeira vez em Lages e se encantaram com a cidade. Vieram conhecer os trabalhos realizados pela Secretaria de Assistência Social e passaram dois dias visitando os principais programas e projetos. “Lages possui muito das tradições gaúchas e ficamos felizes com a visita. Espero que nossas ações sirvam como exemplos positivos e possam enriquecer o trabalho de vocês”, comenta o prefeito Antonio Ceron.

No cronograma de visitas por todos os equipamentos da Secretaria, entrou o Centro Dia do Idoso (CDI), no bairro Centenário, que realiza diversas atividades com pessoas da terceira idade, e a Cozinha Comunitária Rolde Romeu Rosar, localizada no bairro Guarujá, que atende as famílias em situação de vulnerabilidade social. “Já vínhamos acompanhando o trabalho da secretaria pelas redes sociais e nos instigou a visitar e conhecer mais de perto”, comenta Claudia.  

Durante a noite de terça-feira acompanharam o trabalho de abordagem social, que encaminha pessoas em situação de rua até os abrigos preparados para recebê-las para o pernoite, com alimentação e banho. Este trabalho é intensificado durante o período de inverno, devido às baixas temperaturas registradas na Serra Catarinense. “Muito boa esta troca de experiência, temos aprendido muito um com o outro, buscando passar o conhecimento sobre nossos projetos que estão ganhando destaque e ajudando a população”, aponta o secretário Jean Pierre.

Nesta quarta visitaram os dois Serviços de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (abrigos municipais), localizados nos bairros Santo Antônio e Guarujá. Trata-se de serviços que acolhem crianças e adolescentes em medidas protetivas por determinação judicial, em decorrência de violação de direitos (abandono, negligência, violência) ou pela impossibilidade de cuidado e proteção por sua família.

Projeto Novo Acalento será implantado em Charqueadas

Um dos projetos da Secretaria de Assistência Social que mais atraiu os olhares das visitantes foi o Novo Acalento, desenvolvido em parceria com o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) e o Ministério Público. O projeto tem como objetivo estimular pessoas que tenham interesse em apadrinhar crianças ou adolescentes institucionalizadas nos abrigos municipais.

Esta ação visa criar novos laços afetivos e possibilitar a convivência familiar e comunitária. “Nos nossos abrigos em Charqueadas temos crianças já com 16 anos e precisamos encontrar um caminho para elas e encaminhá-las ao mercado de trabalho. O projeto de apadrinhamento será muito importe neste processo, para que elas realmente se sintam acolhidas”, comenta a coordenadora do Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (Saica), Claudia Raquel Costa.

Conheça um pouco sobre Charqueadas (RS)

O município rio-grandense tem cerca de 40 mil habitantes e fica a 396 quilômetros de Lages e a 60 quilômetros da capital Porto Alegre (RS). Tem como principal atividade o ramo metalúrgico, com grandes indústrias instaladas, como a Gerdal, a maior empresa brasileira produtora de aço e uma das principais fornecedoras de aços longos nas américas e de aços especiais no mundo.

Charqueadas é conhecida por contar com o maior complexo prisional do Rio Grande do Sul, com quatro presídios em regime fechado e duas unidades em regime semiaberto (todos estaduais), além de uma nova unidade federal. A população carcerária chega a oito mil habitantes.

Texto: Aline Tives

Fotos: Diogo Godoy e Ary Barbosa de Jesus

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!