Ao menos 180 empresas acusadas de telemarketing abusivo terão serviços suspensos

O Ministério da Justiça vai publicar no Diário Oficial da União desta segunda-feira (18), uma medida cautelar que suspende os serviços e dá dez dias para as empresas se defenderem

Ao menos 180 instituições, entre bancos, empresas de celular e call centers, entraram na mira da Secretaria de Defesa do Consumidor e dos Procons de todo país devido ao telemarketing abusivo.

Ministério da Justiça publicou no Diário Oficial da União desta segunda-feira (18) uma medida cautelar que suspende os serviços e dá dez dias para as empresas se defenderem.

O contato por telemarketing é considerado abusivo sempre que uma empresa liga em horários inapropriados ou repetidas vezes para o consumidor.

São ligações com pedidos diversos: aviso de cobrança, oferta de crédito consignado ou venda de carros, por exemplo. Muitas vezes, os dados são obtidos de maneira clandestina e a ligação acaba caindo no celular até mesmo de quem não possui nenhuma relação comercial com a empresa.

A pessoa incomodada até tenta evitar o recebimento da chamada mas, com o uso de robôs, há empresas que mudam de número com frequência, o que impede a identificação.

Entre janeiro de 2019 e junho de 2022, o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) registrou 6.085 reclamações, de acordo com o governo. Já o site consumidor.gov.br recebeu 8.462 queixas.

A ouvidoria do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor chegou a registrar reclamação de um idoso que contou ter recebido mais de 3 mil ligações em seus cinco números de celular.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!