Palestrante morre durante Seminário de Educação

Um mal súbito com evolução para infarto é a causa mais provável da morte da pedagoga Edite Sehnem, na manhã desta quarta-feira (22), durante um Seminário Microrregional de Educação Especial, em São Joaquim. Mais de 300 pessoas participaram do evento organizado pelo coordenador do Programa Educação Municipal do Consórcio Intermunicipal Serra Catarinense – CISAMA, Carlos Eduardo Moreira.
A renomada palestrante de 63 anos, havia recém iniciada manifestação sobre Educação Inclusiva, tema do qual é considerada uma das maiores especialistas do Brasil. O auditório do Centro de Eventos Newton Stélio Fontanella, estava lotado de educadores de São Joaquim, Bom Jardim da Serra e Urubici.
Edite Sehnem teve perda repentina de consciência quando falava ao público e ao cair desacordada foi atendida pelos presentes. O fato ocorreu por volta das 9:00 e o Samu foi acionado e a palestrante chegou a ser reanimada e levada ao hospital Sagrado Coração de Jesus.
Informações do hospital são de que a paciente sofreu outras duas paradas cardiorrespiratórias e não resistiu. A morte da professora foi confirmada em seguida. Os familiares foram comunicados para os devidos encaminhamentos. Edite Sehnem era reconhecida como uma sumidade em Educação Inclusiva.
Ela chegou a ocupar o cargo de Supervisora de Atividades Educacionais Extensivas no governo do Estado de Raimundo Colombo. E vinha assessorando o CISAMA desde 2019, no processo do Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) da Serra Catarinense, que tem o objetivo de construir uma proposta regional de educação inclusiva para os municípios da região, com base na legislação vigente.
Em suas capacitações sobre Educação Inclusiva, Edite Sehnem abordava temas como Políticas Públicas referentes às pessoas com deficiência; Alfabetização e Letramento, Elaboração Conceitual, Currículo e Flexibilizações Curriculares, Concepções de Desenvolvimento e Projetos Institucionais.
A ação dela nos municípios da Amures resultou num documento chamado “Resolução de Educação Especial”, cuja proposta vem sendo aplicada nas escolas da rede municipal da região por intermédio dos gestores municipais. A morte súbita da pedagoga abalou a educação e deixou os professores perplexos.
A presidente da Amures, prefeita de Palmeira Fernanda Córdova, lamentou a morte de educadora e disse que, a semente plantada por Edite Sehnem ainda resultará em muitos e bons frutos à Serra Catarinense.
A prefeitura de São Joaquim prestou todo suporte e apoio aos familiares. O Seminário Microrregional de Educação Especial foi cancelado.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!