Capão Alto tem encontrado dificuldades para comprar alguns medicamentos

A Prefeitura de Capão Alto tem encontrado dificuldades para adquirir alguns medicamentos para fornecer à população gratuitamente. Alguns itens estão faltando na Farmácia Básica do município, mas não é por problema de gestão. O maior obstáculo, conforme a farmacêutica responsável pelo setor, Ana Paula, é a falta de produto nos laboratórios.

Ana Paula explica que estão faltando medicamentos como Amoxicilina, Diclofenaco e Azitromicina, além de itens de uso contínuo, como Anlodipino. Os medicamentos são adquiridos pelo CinCatarina. “Os fornecedores dizem que os laboratórios não têm esses medicamentos. Já fizemos os pedidos há mais de 30 dias, mas ainda não recebemos os produtos”, destacou a farmacêutica.

Como alternativa, alguns destes medicamentos podem ser substituídos por outros com a mesma função. Essa decisão, porém, cabe aos médicos, que recebem, rotineiramente, uma lista com os remédios que estão faltando. “Não é por falta de verbas ou compras que os medicamentos estão faltando. As compras são feitas, mas eles (fornecedores) não têm previsão para entregar”, explica.

A escassez de remédios pode estar relacionada à dependência de matéria-prima usada na produção dos itens no Brasil. O País importa mais de 95% da matéria-prima utilizada na produção nacional de medicamentos. E a falta deve-se em parte ao cenário de lockdown da China e a Guerra da Ucrânia, o que afetou o fornecimento de insumos.

Farmácia Básica possui cerca de 300 itens

A Farmácia Básica de Capão Alto, administrada pela Secretaria Municipal de Saúde, possui cerca de 300 itens que são distribuídos à população pelo SUS de forma gratuita. O órgão possui uma servidora e duas estagiárias, atendendo, em média, de 50 a 80 pessoas por dia. A recomendação é para que os moradores procurem consultar no município, para facilitar o acesso aos medicamentos disponíveis no local. O órgão também faz entrega de medicamentos de alto custo, fornecido pelo Estado, fraldas, material para teste de glicose e leite infantil a crianças prematuras ou desnutridas, Vale ressaltar que todos os atendimentos são feitos somente a partir da apresentação de receita ou laudo médico. A partir do mês de agosto, a Farmácia Básica enviará uma equipe ao interior para atender moradores da zona rural do município.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!