morauto_export Moto-Center-Bike_aprovado lages_jasc_blog_700x100px
camaralages_export
Participe pelo nosso WhatsApp

(49) 9 9119-9209

Hora local

Dvidas-a-respeito-da-exploraco-de-basalto-no-Morro-Grande-so-apresentadas-na-Camara-2Um dos pontos turísticos de nossa cidade, o Morro Grande vem há décadas sendo explorado com a extração de minerais. Dados de 2013 apontam que a extração da rocha basalto atingiu 80 mil metros quadrados da área. Além disso, construções irregulares e plantação de pinus estão mudando a paisagem do morro e a mata nativa está deixando de existir. 

Dvidas-a-respeito-da-exploraco-de-basalto-no-Morro-Grande-so-apresentadas-na-Camara-1Preocupado com a situação e diante de inúmeras reclamações da comunidade, o vereador David Moro (PMDB) apresentou na segunda-feira (2), o requerimento 173/2017, onde busca sanar algumas dúvidas a respeito do impacto ambiental, forma de exploração do basalto e quais ações estão sendo executadas para evitar danos às residências próximas. 
A extração do minério é realizada por uma empresa legalizada. A Fundação Estadual de Meio Ambiente (Fatma) concedeu para a empresa Britagem Gaspar a Licença Ambiental de Operação (LAO), que permite a operação no local até 2021. O documento legislativo da Câmara Municipal foi encaminhado à gerência da Fatma em Lages e ao responsável pela empresa que detém a concessão para exploração. As perguntas são as seguintes:

Dvidas-a-respeito-da-exploraco-de-basalto-no-Morro-Grande-so-apresentadas-na-Camara-3 
1.    Qual a forma de exploração estabelecida na LAO nº 6.595/2017?

2.    Quais os equipamentos que a empresa Britagem Gaspar, pode utilizar na exploração de tal atividade? E quais estão utilizando?

1.    Com relação aos explosivos, qual a quantidade prevista na LAO a ser utilizado mensalmente pela empresa?

3.    Qual a quantidade de basalto retirada diariamente do local?

4.    O dano ambiental ocorrido com a devastação na mata que existia no local, será reparado? Novas árvores serão plantadas ou o local só será ainda mais devastado e explorado até 2021?

5.    Qual o posicionamento da Fatma e da empresa Britagem Gaspar sobre a situação das residências afetadas pelas explosões utilizadas na exploração do solo?

6.    Existe um cadastro onde estas pessoas possam se inscrever, passando tais reclamações para que sejam devidamente indenizadas e tenham os danos de suas residências reparadas?

7.    Qual o procedimento que deve ser adotado pelas pessoas que tiverem suas residências afetadas, junto a Fatma?