morauto_export WhatsApp-Image-2017-09-05-at-10.23.43 prefa-aok
camaralages_export
Participe pelo nosso WhatsApp

(49) 9 9119-9209

Hora local

bonecoA MetSul Meteorologia alerta para uma brutal mudança das condições do tempo no Sul do Brasil no começo da semana. Massa de ar quente com máximas de até 30ºC a 32ºC nesta sexta e no sábado em Santa Catarina dará lugar a uma poderosa massa de ar de origem polar que começará a ingressar no Estado ao longo do domingo e tomará conta do território na segunda-feira, afetando na sequência todo o Sul do Brasil.
Deve ser esperada uma queda extremamente forte da temperatura entre o domingo e a segunda-feira. Já no domingo faz muito frio durante o dia com resfriamento intenso até o final do dia. Na segunda-feira, com a chegada da parte mais intensa do ar polar, o dia vai ser extremamente frio com temperatura por demais baixa mesmo no período da tarde.
 
ANÁLISE
 
A natureza é complexa e poucos fenômenos são tão difíceis de prever com exatidão como a neve pela quantidade de fatores que estão envolvidos. Basta ter em conta que, dependendo da temperatura, um milímetro líquido pode se converter em um centímetro de neve no solo ou quatro. Por isso, não raro nos Estados Unidos os meteorologistas “quebram cabeça” para dizer o quanto vai nevar e onde vai nevar. Dito isso, vai nevar no Sul do Brasil. Os modelos indicam que sim e durante a segunda-feira. Onde e quanto? Aí está a complexidade do prognóstico.
Quando? Quase todos os modelos numéricos analisados coincidem em indicar a ocorrência de neve na segunda-feira no Sul do Brasil, mas divergem acerca da abrangência do fenômeno, a intensidade e o período favorável do dia. Já não se descarta que neve durante a manhã em alguns pontos, mas, em geral, as simulações retardaram o período mais favorável à neve para a tarde e noite. Ainda na madrugada da terça-feira há chance de neve em pontos altos de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
Onde? As condições, conforme os dados, tendem a ser muito propícias com alta possibilidade de nevar nas áreas em que o fenômeno tradicionalmente costuma se dar como Serra Catarinense e nos Aparados da Serra Gaúcha.
As regiões onde as cotas estão acima de mil metros, há possibilidade de nevar. Principalmente em municípios com altitudes entre 600 e 800 metros. Persiste a possibilidade de neve ainda em áreas mais altas do Meio-Oeste Catarinense, Planalto Norte de Santa Catarina e do Sul/Sudoeste do Paraná, a despeito da probabilidade já ter sido maior.
Como? Primeiro, não se antecipa um evento com a magnitude dos registrados em julho e agosto de 2013. É muito possível, porém, que haja acumulação, mas em áreas de maior altitude. Nestas regiões é factível que ocorram períodos de neve forte, logo é recomendável ter muita atenção ao dirigir. Nas demais regiões, em que a cota é inferior a mil metros, mesmo que não seja possível se descartar acumulação, se nevar os acumulados seriam inferiores a muito inferiores.
As projeções de neve apresentam uma enorme complexidade para o prognosticador, especialmente quanto aos volumes, e que existem divergências entre os dados que não habilitam uma previsão com alta confiabilidade quanto à extensão e intensidade do fenômeno neste evento.
Fonte: Meteorologista Estael Sias

Oneris Lopes 
Jornalista (DRT - 4347/SC) - AMURES