morauto_export WhatsApp-Image-2017-09-05-at-10.23.43 prefa-aok
camaralages_export
Participe pelo nosso WhatsApp

(49) 9 9119-9209

Hora local

Projeto-que-nomeia-rua-Clair-de-Jesus-da-Silva-Rosa-e-aprovado-na-Camara-de-Lages-1-LargePor unanimidade, os vereadores da Câmara Municipal de Lages aprovaram na sessão de segunda-feira (11) o projeto de lei 072/2017, que dá nome de Clair de Jesus da Silva Rosa à rua do bairro Vila Esperança, codificada pela Prefeitura sob o número 1251. O logradouro tem início na rua João Gomes de Campos e termina na rua Generoso Paes de Farias Sobrinho. De autoria da presidente da Câmara, Aida Hoffer (PSD), a matéria segue agora para sanção ou veto do prefeito de Lages.   
O homenageado nasceu no dia 6 de agosto de 1969, em Lages, onde residiu durante toda a sua vida. Começou a trabalhar muito jovem, com apenas 14 anos, época em que fatalmente sofreu um acidente e perdeu uma das mãos. Todavia esse episódio não o impediu de seguir adiante. Morador do Vila Esperança, Clair foi presidente do bairro, desempenhando seu papel com muita dedicação sempre trabalhando pelos interesses da comunidade. Em 2014, faleceu aos 44 anos, porém deixou um legado de cheio de conquistas, lembranças e experiências de vida.

Associaco-de-moradores-do-Ponte-Grande-e-declarada-de-utilidade-pblica-1-LargeA Câmara Municipal aprovou na sessão de segunda-feira (11) o projeto de lei 063/2017, que declara de utilidade pública a Associação de Moradores do bairro Ponte Grande. O título garante às entidades, associações civis e fundações o reconhecimento como instituições sem fins lucrativos e prestadoras de serviços à sociedade. Desse modo propicia, entre outras coisas, acesso a verbas públicas. “Usufruindo desse título, a entidade poderá entrar em contato com o poder público unindo forças para buscar recursos e melhorar os serviços realizados”, justificou o autor do projeto, vereador Gerson Omar dos Santos (PSD).

A associação é uma entidade comunitária criada em 2009 e composta por dois bairros: Ponte Grande e Jardim Cepar. Sua sede fica localizada na rua Maria Koerich Bunn, 195, no Ponte Grande. Voltada para ações sociais, ela desenvolve seu trabalho buscando melhorias para a comunidade, no apoio a execução de políticas públicas, distribuição de alimentos entre outras. Portanto, a associação leva as reivindicações da comunidade até os órgãos responsáveis pela execução dos serviços na expectativa de soluções diante dos problemas apontados.

Atualmente, a diretoria da associação está trabalhando para a implantação de um centro de referência para atividades comunitárias. Para isso, já conseguiram uma área e elaboram um projeto que contempla a sede comunitária e áreas para campo de futebol, quadra de areia, parque infantil, pomar, horta e estacionamento. Além disso, esse espaço poderá ser utilizado pela prefeitura ou outras entidades para prestar serviço à população lageana. “Me sinto honrado em contribuir com esse projeto, através da aprovação dessa lei, pois vai proporcionar a entidade melhorias na sua infraestrutura e equipamentos que serão utilizados em prol da comunidade”, finalizou Gerson.

segurofunerarioAtendendo exigência legal do Ministério Público, a Prefeitura Municipal de Lages irá realizar Licitação Pública para a exploração do serviço funeral no município. O Edital, segundo é do conhecimento público, é similar ao da prefeitura de Navegantes. Não tiveram o bom senso nem de reformular o conteúdo .  Falta de criatividade ou de competência? Ou quem sabe o Edital favorece mais as empresas de fora que irão participar da Licitação Pública? A administração municipal deveria valorizar as empresas que aqui estão estabelecidas, pagando impostos há muitas décadas, e não ir de encontro com os interesses alheios. É claro que, por uma série de motivos, o objetivo principal da Prefeitura Municipal de Lages é encarecer a prestação do serviço funeral. E, consequentemente,  dificultar o meio de sobrevivência da população. Benefícios? Só na hora do voto?  Dizer que a Legislação do Edital de Navegantes atende às do município de Lages, é pura balela. Vale lembrar que as empresas lageanas  terão que participar do ato licitatório,  em igualdade de condições com as forâneas, desde que estejam com as documentações estejam em dia. A Lei é igual para todos. Não há como estabelecer privilégios a empresas que aqui nunca foram estabelecidas. Segundo o que determina a legislação vigente, Lages poderá ter apenas cinco funerárias, e não sete.  Como antes era permitido? Também  não é boato dizer que o serviço funerário será encarecido depois da  Licitação Pública. Pelo contrário, a família enlutada terá  que pagar mais caro sim. A Licitação Pública acontecerá no dia 5 de outubro de 2017, às 09:00hs na Prefeitura Municipal de Lages. O Tribunal de Contas/SC  orienta e acompanha o procedimento legal da Licitação Pública. Podem participar todas as empresas que estão inseridas na atividade funeral, desde que atendam os requisitos exigidos no Edital 04/2017, publicado em 21 de agosto de 2017.

Pedido-requer-disponibilizaco-de-folhas-ponto-da-Secretaria-da-Educaco-1-LargeApresentado na segunda-feira (11), o pedido de informação 118/2017 solicita à Secretaria Municipal da Educação o fornecimento das folhas ponto dos servidores lotados na pasta, através de CD ou outra forma que seja de escolha da Administração Municipal. Autor do pedido, o vereador Jair Junior (PSD) explica esse é o terceiro pedido com o mesmo tema, visto que as respostas enviadas não sanaram as dúvidas expostas. “A Secretaria da Educação insiste em não nos responder, isso não é perseguição, mas as perguntas enviadas não foram respondidas”, disse.Os vereadores aprovaram o documento que será encaminhado ao prefeito de Lages, Antonio Ceron (PSD). O prazo para responder as novas indagações é de até 30 dias. Os questionamentos são os seguintes:1.    Dos servidores efetivos lotados na Secretaria de Educação, quais são efetivos em função de confiança? Descriminar nesse caso a função de confiança que está sendo ocupada.2.    Os funcionários da Secretaria de Educação, que trabalham em serviço interno na Secretaria, têm seus horários confirmados por ponto eletrônico ou por folhas-ponto? 3.    Caso a resposta anterior seja folha-ponto, a Secretaria não possui no seu patrimônio ponto eletrônico? Por que não está sendo usado?

maxresdefaultQuem esteve nos desfiles alusivos ao Dia da Independência do Brasil podem confirmar o conteúdo desta matéria. Antes, uma afirmação da reportagem: não somos contra Fanfarra nenhuma. Aliás, somos muito a favor. Apreciamos uma bela fanfarra. Aquela que desfila com as batucadas dos tambores e caixas que não fazem os alunos atrás não percam os passos da Ordem Unida ou da marcha como querem. Que aquelas fanfarras que desfilam com instrumentos musicais executem em seus repertórios apenas  hinos ou “dobrados” que são alusivos à data comemorativa, e não chegarem ao cúmulo de executarem músicas de pagode, balada, putaria, etc. Os alunos que desfilam ao som dessas fanfarras ficam confusos. Não sabem se marcham ou se pulam Carnaval. Ou seja, muitos estabelecimentos escolares, desfilaram em homenagem à Anita, Ivete , Luan e outros babados. Em nenhum momento voltados ao ato heróico da Independência.  Aliás, há quem pense que foi um astronauta que gritou “Independência ou Morte” ao pisar na Lua. Também acham que o rio Ipiranga já secou de tanta poluição.
Gente, vamos ser patriotas.  O desfile de 7 de Setembro em vias públicas é para comemorar a Independência do nosso País, Fato que ocorreu no dia 7 de setembro de 1.822. quando D,Pedro, ao desembanhar a sua espada, bradou às margens do rio Ipiranga: Independência ou Morte. Portanto, desfile da Independência não é um ato alusivo a eventos musicais de época. Seria de bom  que ficasse a cargo da Secretaria da Educação a organização e participação das escolas, obedecendo os critérios  previamente definidos.