morauto_export WhatsApp-Image-2017-09-05-at-10.23.43 prefa-aok
camaralages_export
Participe pelo nosso WhatsApp

(49) 9 9119-9209

Hora local

WhatsApp-Image-2017-09-14-at-101644Naquela época, os meteorologistas previam um final de semana muito gelado, na serra catarinense de fato, foram registradas as mais baixas temperaturas. Ainda bem que haviam cerca de 10 mil peças de madeira que foram distribuídas pela Defesa Civil e a Secretaria do Meio Ambiente em forma kits denominado Lenha Solidária. Os bairros considerados mais carentes foram contemplados. “Cerca de 10 mil peças de lenha foram distribuídas, provenientes de poda, extração de árvores, plantas derrubadas com o vento, numa doação da Polícia Ambiental”, observou Hampel, reiterando ainda que “ havia esse prenúncio de miito frio e tínhamos que atender essas pessoas que moram em área de risco”, ressaltou secretário Meio Ambiente na época. As famílias ficaram emocionadas e agradecidas. A dona de casa Vanessa Rodrigues  muito agradeceu. A sogra dela disse: “Essa doação salvou nosso fim de semana”, observou  Maria Inácia do Amaral. Na verdade,  muitos morados dos inúmeros bairros carentes estava preocupados com o rigor do inverno. O casal de idosos, de 73 anos, Bernardina de Oliveira e  José Pires, aposentados, diante da impossibilidade de comprar lenha, enfatizou:  “Para esse fim de semana não será preciso buscar lenha no mato. Ficamos agradecidos por sermos lembrados” disse o aposentado José Pires. 

WhatsApp-Image-2017-09-14-at-101910A distribuição da lenha, além de aquecer a parte interna residência,  serve para cozinhar os alimentos da família. Um casal, ao receber o Kit da Lenha Solidária assim disseram : “fomos surpreendidos com a falta de gás. Essa lenha chegou na hora” observou a dona de casa. Vale lembrar que essas ações da Secretaria do Meio Ambiente na gestão de Hampel aconteceram em 2013, 2014 e 2015.


 

Novos-questionamentos-sobre-vagas-de-professores-nas-unidades-escolares-do-municpio-1Sobre a situação dos professores aprovados no concurso público municipal de 2016, o vereador Jair Junior (PSD) produziu dois pedidos de informação (076 e 097) à Secretaria de Educação de Lages, os quais buscavam respostas sobre o tema. No primeiro deles, a secretária da área afirmava que não havia previsão para o chamamento de mais professores classificados no certame e nem haveria outro concurso enquanto o edital de 2016 estivesse em vigência.Já no segundo, dizia que as vagas restantes dos processos de remoção, lotação e ampliação foram oferecidas aos professores efetivos de Lages lotados na Secretaria de Educação e aos chamados no concurso em questão. Relatava ainda que um novo levantamento de vagas seria realizado conforme o número de matrículas para 2018, restando daí a possibilidade de chamamento dos excedentes do concurso de 2016.Diante destas respostas, o vereador Jair Junior encaminhou novos questionamentos ao prefeito Antonio Ceron (PSD). O pedido de informação 119/2017 requer a relação de vagas de todas as unidades escolares do município, especificando se elas estão vinculadas (com os respectivos nomes dos professores titulares e substitutos) ou abertas (especificando se está sendo ocupada por professor efetivo ou contratado). A matéria também solicita o nome e a unidade em que atuam os professores lotados na Secretaria de Educação e quantos professores já se aposentaram neste ano.“Estão colocando professor contratado em vaga que não tem servidor efetivo. São várias vagas em aberto e não foi chamado professor efetivo. A lei diz que o servidor contratado tem que substituir o professor efetivo que está em uma função de confiança, numa direção de escola, na Secretaria de Educação, que se ausentou, mas nos casos que ainda não tem, é o professor efetivo que tem que ser colocado nesta vaga. Tem um concurso público em aberto, isso é um desrespeito com quem fez o concurso, foi aprovado e ainda não foi chamado”, reclamou Jair.

O alerta é para que os motoristas fiquem atentos na passagem dos tradicionalistas a cavalo

Atenco-quanto-ao-transito-neste-sbado-16A DIRETRAN informa que no dia 16 de setembro, sábado, a partir das 08 horas, ocorrerá em Lages o Desfile Farroupilha, podendo o trânsito de veículos ficar mais lento nas vias abaixo listadas, durante a passagem do referido Desfile:Saída da Sede do MTG, Rua Juscelino Kubitschek de Oliveira, Avenida Luiz de Camões, Rua São Jorge, Rua Marechal Rondon, Avenida Duque de Caxias, Rua Correia Pinto, Rua Presidente Nereu Ramos, Rua Frei Rogério, Praça João Ribeiro, Rua Frei Gabriel, Avenida Belizário Ramos, Avenida Dom Pedro II, Avenida Santa Catarina, Rua Aujor Luz, Avenida Hipérides de Sá Ferreira, terminando na Sede do CTG Planalto Serrano.

Cada escola possui seu próprio CPP, que facilita o andamento de projetos e atividades das unidades, realizando a prestação de contas e fiscalizando as aplicações de recursos

Conselhos-de-Pais-e-Professores-tem-papel-importante-na-manutenco-das-escolas-6A participação dos pais na vida escolar dos filhos é fundamental para garantir a qualidade da Educação. Candidatar-se a uma vaga no Conselho de Pais e Professores (CPP) é uma boa forma de acompanhar o trabalho feito pelos gestores, docentes e funcionários da escola e de se envolver diretamente nas decisões que serão tomadas.O Conselho é responsável por zelar pela manutenção e por participar da gestão administrativa, pedagógica e financeira da escola. Além disso, tem um papel fundamental na democratização da Educação.São órgãos colegiados que debatem, acompanham e deliberam sobre questões político-pedagógicas, administrativas e financeiras das escolas. São formados por representantes da comunidade escolar e local, sejam pais, professores ou alunos. Uma das funções é legitimar que os recursos públicos destinados às instituições de ensino sejam aplicados de forma coerente. É um trabalho legal, constitucional, legítimo, com caráter voluntário e que exige dedicação e interesse pelo pleno desenvolvimento da escola em questão.

Marco Regulatório impõe novas regras

No âmbito local, em Lages, nas escolas da rede municipal de ensino, por questões que envolvem o Marco Regulatório e suas regras, as verbas provenientes da prefeitura não puderam mais ser repassadas aos Conselhos, desde o início do ano. Porém, o Município ainda está apto a receber verbas federais, mediante a execução das atividades ou de projetos previamente estabelecidos em planos de trabalho inseridos em termos de colaboração, ou em termo de fomento, os quais devem ser precedidos de chamamento público. Cada escola possui seu próprio CPP, que facilita o andamento de projetos e atividades destas unidades, realizando a prestação de contas e fiscalizando todas as aplicações de recursos.A lei do Marco Regulatório não permite a contratação de funcionários municipais para exercer funções dentro dos Conselhos, tornando-se ilegal, pois consta na Constituição que a única forma de ingressar no serviço público é por meio de concurso ou processo seletivo. “Devemos deixar claro que o Município não demitiu ninguém, apenas está cumprindo o que diz a lei. Resolvendo esta questão, esclarecemos que a formação dos CPPs deve continuar, pois são legítimos, legais e necessários para a comunidade estudantil”, diz a assessora jurídica da Secretaria da Educação, Francyane Katyuska Garcia.Segundo o técnico da Secretaria, que atua no Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), Patrick Lucian Wiggers, os recursos federais são repassados duas vezes por ano às escolas e obedecem a um procedimento legal, desde que a instituição se torne uma unidade executora, que se dá através da constituição do Conselho, habilitando também a participar de todos os programas federais, como o “Mais Educação” e “Atleta na Escola”. “Os Conselhos de Pais e Professores tornam o processo mais democrático, para que não somente a direção da escola gerencie estes recursos, mas que toda comunidade escolar esteja representada nestas escolhas, atendendo necessidades básicas e prioritárias, de forma transparente perante a sociedade”, diz Patrick.Os CPPs são formados por presidente e vice, tesoureiros, secretários e uma série de cargos com funções específicas e importantes. As eleições normalmente ocorrem a cada três anos e são feitas de forma democrática, com a participação dos alunos, pais e responsáveis.

CPP da Emeb Jardelina é exemplo de força e união

Conselhos-de-Pais-e-Professores-tem-papel-importante-na-manutenco-das-escolas-7Na Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) Jardelina Furtado Pereira, do bairro Penha, a direção da escola comemora a estreita relação entre a instituição e os familiares dos alunos, contribuindo com o bom andamento dos projetos e ações. A diretora, Elisângela de Oliveira Alegre de Limas, conta que, perante algumas dificuldades financeiras até que a questão do Marco Regulatório estivesse resolvida, todos os integrantes do Conselho somaram esforços para criar alternativas. “Reunimo-nos, pensamos em estratégias, fizemos eventos, ações, brechó, rifas, doações e tudo que pudesse angariar fundos para escola. Todos os pais participaram e contribuíram de alguma forma”, conta.Até na falta de materiais básicos os pais unem esforços para resolver, como no episódio em que eles fizeram sabão caseiro para a escola. “Com o tema ‘reaproveitamento’ em evidência, o ‘Dia da Família na Escola’ foi voltado para sustentabilidade, ensinando os pais como utilizar os materiais recicláveis, tornando-os algo útil”, diz.Algumas reformas na escola também são fruto da colaboração da comunidade, garantindo o conforto e bem estar dos alunos. “Estas duas entidades sociais, família e escola, precisam estar unidas de uma forma democrática. As crianças se sentem mais valorizadas, e os pais mais participativos servem de exemplo aos demais. É uma rede de solidariedade”, comenta a diretora.   Outra integrante do CPP da escola, Carla Paulo Costa, também defende a importância do Conselho atuando como ponte entre a comunidade estudantil e os pais. “Temos a parceria e apoio em todas as ações realizadas, temos muito resultados positivos”, afirma. Cleumara Duarte Branco de Oliveira, representante dos pais, diz perceber que dentro do grupo existem algumas lideranças que assumem a iniciativa das ações, e isso precisa ser estimulado. “Eles participam sempre com muita vontade e interesse de promover mudanças”, diz.Já a segunda tesoureira, Beatriz Ribeiro Andrade, lembra várias ações e gincanas para arrecadar dinheiro para a instituição. “Todo mundo se ajuda, muitas vezes fizemos um mutirão pra realizar os eventos. As coisas vão acontecendo de forma natural, com companheirismo em um trabalho integrado com um objetivo em comum, que é a melhoria na qualidade de vida dos nossos alunos, e isso precisa continuar”, enfatiza.

Indicaces--4-e-5-de-setembroA credibilidade dos políticos nunca foi tão baixa como agora. E diante de uma crise política sem precedentes na história do País, também as instituições ligadas às atuações dos políticos caem no descrédito. No caso da Câmara de Vereadores de Lages, que também não está imune às críticas da imprensa e da população, vem chamando a atenção a quantidade de realizações de Sessões para prestar homenagens.  Essa prática é lógico que, além de acarretar gastos, ainda preenche os horários para aprovações de projetos e outros expedientes na área do Poder Legislativo. É hora de dar um basta nas Homenagens, antes de virar bagunça, e a ponto de não ter valor algum uma homenagem recebida na Câmara de Vereadores de Lages.